Os Contratos de Vesting para Startups


Os contratos de Vesting foram criados nos Estados Unidos com o objetivo reter talentos e incentivar membros chave da equipe durante o crescimento de um empreendimento, normalmente startups. O contrato de Vesting combina obrigações de entregas (em serviços, know how, investimento, entre outros insumos úteis ao negócio) com opções de aquisição de participação societária de forma fracionada e progressiva.


O Vesting possui, normalmente, dois momentos distintos: o Cliff e o Vesting de participação. O Cliff é o período em que o membro chave (sócio, funcionário, conselheiro, prestador de serviço, etc.) deve permanecer na empresa. Durante esse período, normalmente de um ano, ele não recebe participação societária. O Vesting da participação, que ocorre após o Cliff, ocorre normalmente ao longo de 2 a 4 anos (sendo tal prazo de livre definição entre as partes), ou conforme certos objetivos e metas definidos entre essa pessoa e os empreendedores sócios. Durante esse prazo o membro chave receberá suas cotas periodicamente (mensal, trimestral, semestral, anual, etc.), até completar o prazo total previsto no Contrato. Caso o funcionário/investidor deseje sair antes do prazo acertado, terá direito à participação proporcional ao tempo em que permaneceu na Startup.


Para exemplificar: a startup XYZ distribuiu 9.600 cotas para cada cofundador via contrato de Vesting de 4 anos com um ano de Cliff. Então, nesse caso, a cota mensal será 9.600 (cotas) / 48 (meses) = 200 cotas por mês. Porém, como existe o período de um ano de Cliff, nenhuma cota será distribuída durante os primeiros 12 meses. No começo do segundo ano 2.400 cotas serão distribuídas e após isso 200 cotas por mês até o fim do contrato ou até que o cofundador saia do projeto.


As startups, normalmente, são criadas com dois pilares principais: crescimento e inovação. Para conseguir isso é necessário pessoas talentosas e determinadas, porém, esse é um grande desafio, ainda mais quando se está começando no mercado. Um bom contrato de Vesting é uma das formas de resolver esse desafio, pois com ele se garante mais segurança para reter talentos e desenvolver a empresa. Esse contrato estimula os colaboradores a trabalhar com foco no resultado, assim garantindo recompensas justas conforme a dedicação, seja intelectual ou financeiro, de cada um no crescimento da empresa.


O Vesting, portanto, tem se mostrado um dos principais aliados das startups, visto que incentiva os seus colaboradores a trabalharem buscando valorizar a empresa além de tornar a startup mais atraente para possíveis investidores e/ou compradores.

Posts Recentes
Arquivo